Ministro

O ministro da Presidência da Bolívia, Jerjes Justiniano, afirmou hoje (18) que o governo de Jeanine Áñez, presidente autoproclamada do país, avalia a convocação de novas eleições por decreto, caso não haja acordo no Congresso com os representantes do partido de Evo Morales, o Movimento ao Socialismo (MAS).

"Se percebermos que há dificuldades para convocar as eleições, uma das sugestões que o Ministério da Presidência fará é que convoquemos eleições imediatamente por meio de algum outro instrumento legal", afirmou Justiniano.

A convocação de eleições por decreto já ocorreu antes na Bolívia, no mandato do presidente provisório Eduardo Rodríguez Veltzé (2005-2006), e serve como jurisprudência para o atual governo. Apesar de governo e oposição afirmarem que querem paz e diálogo, ainda não se sabe como o Congresso se posicionará nos próximos dias.

O MAS tem maioria no Senado e na Câmara e pode barrar votações importantes como a convocação de novas eleições. As eleições gerais do dia 20 de outubro foram anuladas devido a irregularidades detectadas auditoria da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Renúncia

No último dia 10, pressionado pelas Forças Armadas, Evo Morales renunciou ao cargo de presidente e se asilou no México. Inicialmente, a posse do novo presidente estava prevista para o dia 20 de janeiro de 2020. O atual governo, que é temporário, tem pela frente o desafio de convocar novas eleições, com transparência, e o quanto antes.

A chanceler boliviana, Karen Longaric, disse hoje que as próximas eleições serão as mais transparentes da história do país e ressaltou o apoio que a Bolívia tem recebido de organismos internacionais.

"Estamos todos muito entusiasmados por realizar as eleições mais transparentes da história da Bolívia e recuperar a credibilidade do povo. É a única maneira de consolidar instituições democráticas no país", disse.

O Ministério das Relações Exteriores entrou em contato com diferentes organizações internacionais que podem participar desse processo de diálogo sobre a paz. Estamos falando das Nações Unidas, da União Europeia e da OEA, que nos fornecerá assistência técnica", afirmou Longaric.

Edição: Maria Claudia


Caixa começa a pagar hoje décimo terceiro do Bolsa Família

Os beneficiários do Bolsa Família começarão a receber nesta terça-feira (10) o abono natalino, equivalente ao décimo terceiro do benefício.

Fachin autoriza transferência de Geddel para presídio em Salvador

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin autorizou nesta segunda-feira, 9, a transferência do ex-ministro Geddel Vieira Lima do

A NICA DA LIBERDADE 218

Ramiro Guedes LAMPIÃO NA BAHIA Um dos maiores estudiosos do lampionismo no Brasil é o promotor aposentado Edvar Cabral. Estudioso do assunto,

Dr. Pedro é pré-candidato a prefeito de Alcobaça pelo

Alcobaça: O partido Solidariedade anunciou esta semana o nome do seu pré-candidato a prefeito na cidade de Alcobaça. Trata-se do jovem médico,

Prefeitura entregará dois tratores na Feira da Agricultura Familiar

Uma Feira da Agricultura Familiar com clima de comemoração. Além da tradicional feira, que acontece quinzenalmente, a Secretaria de Agricultura

Força Nacional vai garantir segurança de povos indígenas no

A Força Nacional de Segurança Pública vai apoiar a Fundação Nacional do Índio (Funai) nas ações de garantia da integridade física e moral

PIB do Brasil cresce 0,6% no 3º trimestre, diz IBGE

Resultado mostra ligeira aceleração do ritmo de recuperação da economia entre julho e agosto. Resultado do 2º trimestre foi revisado para uma

MP que antecipa 13º a aposentados só vale até esta terça

Texto publicado por Bolsonaro determina que 50% do abono anual será pago em agosto; regra precisa ser validada pelo Congresso A medida

“Não é a minha pretensão ser candidato em 2022”, diz Wagner

O senador Jaques Wagner (PT) voltou a afirmar, nesta segunda-feira, 2, que não tem a pretensão de ser candidato ao governo da Bahia em 2022. O

Lei que pune estabelecimentos que discriminarem LGBT´s

Foi sancionada nesta sexta-feira, 29, a lei que caracteriza como infração administrativa, qualquer ato discriminatório praticado por

Nossos Apoiadores: