A vida é mesmo cheia de ironias. Quando o então juiz Sérgio Moro, a uma semana da eleição, deixou vazar a delação do ex-ministro de Lula, Antonio Palocci, a uma semana do primeiro turno presidencial, era legal, apesar do bombardeio de críticas, inclusive de juristas, que dizia tratar-se de uma ação política.

Agora alvos de vazamento de mensagens reveladas pelo site The Intercept, Moro e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força tarefa da Lava Jato, foram incisivos: se disseram vítimas de um vazamento ‘imoral e ilegal’. Seja lá como for, agora estão provando do próprio veneno.

No telhado – Cola? Para o senador Otto Alencar (PSD), claro que não. Ontem em entrevista à BandNews, ele disse que Moro ‘deixou vazar tudo’. E vaticinou:

— As acusações, de que Moro e Dallagnol, um juiz que deve julgar os fatos e o procurador que deveria apurar, agiam de comum acordo, são graves. E fatalmente vai dar em CPI.

Também é certo que a pretensão de Moro ir para o STF subiu no telhado. Otto diz ter uma quase certeza:

— No Senado não passa. Ele atropelou a lei, agiu como se os fins justificassem os meios. E isso é grave.

O senador afirma que no Paraná já se dizia que Moro sempre fez vistas grossas para os aprontes do ex-governador Beto Richa. A isso soma-se a desarticulação do governo no Congresso. Em suma, Moro subiu a escada.

Moro, Argolo, pedra e vidraça

Aliados do ex-deputado Luiz Argolo, que foi condenado a 11 anos e 11 meses de prisão em 2015 pelo então juiz Sérgio Moro (pena depois ampliada para 12 anos e oito meses), festejavam ontem na Assembleia o escândalo envolvendo o ex-algoz, agora ministro.

Dizem que, no mínimo, Moro saiu da condição de herói da Lava Jato para agora encarar o bombardeio midiático. Ou seja, passou de pedra a vidraça.

PMs tentam se mobilizar

Representantes de entidades que congregam policiais militares do país se reuniram ontem na Assembleia, entre eles os baianos Sargento Isidório (Avante) e Soldado Prisco (PSC), para a Previdência. O consenso, segundo Prisco:

– A proposta é obscura. Privilegia os militares federais e esquece os estaduais. Só está claro que aposentadoria pula de 30 anos para 35.

Eles dizem que em peso apoiaram Bolsonaro. Mas podem saltar fora.

Júnior, doação peso pesado

E por falar em doações, o deputado Júnior Muniz (PP) carregava ontem uma sacola de papelão no restaurante da Assembleia. Era pesadíssima. Conteúdo: R$ 2 mil em moedas que ele levava para doar à Igreja Internacional da Graça de Deus, à qual pertence.

As moedas ele arrecada no comércio em geral trocando por dinheiro em cédulas. E por quê?

– Porque eu gosto assim. Prefiro as moedas.

Um tijolinho para ajudar nas Obras de Irmã Dulce

No efervescente comércio de licores, pamonhas e canjicas do entorno da Praça David Lagine, a central da Assembleia, uma pausa para a caridade: lá está o Oratório Irmã Dulce, uma casinha onde Nilda Pessoa e Maria Olviedo, funcionárias da casa, arecadam R$ 10 por um tijolinho, que vai virar uma colaboração para as Obras Sociais de Irmã Dulce. Fala Nilda:

— As Obras de Irmã Dulce estão precisando ampliar a ala de ressonância. Aqui é uma ajuda. Por R$ 10 a pessoa leva um tijolinho de brinde e colabora com a causa.

A iniciativa é da Assembleia de Carinho, presidida por Danda Leal, esposa do presidente Nelson Leal (PP). Detalhe: ninguém pega em dinheiro. O doador vai lá e põe na urna.

Fonte: Agência Brasil


STF nega liberdade a Lula antes de julgar suspeição de Moro

Os ministros Celso de Mello e Carmem Lúcia, da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), votaram nesta terça-feira (25) contra a

Bolsonaro provoca Doria e fala sobre possível rival em 2022

Presidente já havia escolhido São Paulo para anunciar que poderia recuar da promessa de campanha e concorrer a um segundo mandato Quatro dias

Gilmar Mendes recua e adia julgamento sobre Moro

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) adiou nesta segunda-feira, 24, o julgamento sobre a suspeição do ex-juiz e atual ministro da

STF vai adiar julgamento de suspeição de Moro no caso Lula

Gilmar Mendes concluiu que não haveria como debater o caso de Moro O julgamento da suspeição de Sergio Moro na condenação de Lula no caso

STF e Câmara podem analisar decreto das armas nesta semana

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), informou ao blog que a Corte deve começar a julgar nesta quarta-feira (26) o

Bolsa Família: frequência escolar deve ser enviada até

Secretarias municipais de educação de todo o país devem enviar o registro de frequência escolar de beneficiários do Programa Bolsa Família ao

A NICA DA LIBERDADE 208

Ramiro Guedes LITURA RECOMENDADA Recomendar “Crime e Castigo”, de Dostoiévski, é recomendar um mergulho no mais profundo da alma humana em

Prefeito e vereadores do município de Caravelas viajam à Salvador

Caravelas: Na viagem, realizada à capital do estado da Bahia, levaram as demandas para abertura de poços artesianos e tratores. Silvio Ramalho

Presidente dos Correios anuncia que vai se afastar do cargo

Na semana passada, Jair Bolsonaro afirmou que já havia decidido demitir o general Juarez Cunha. "Hoje me afasto dos Correios. Foram 7 meses de

Isenção de visto para cidadãos de EUA, Canadá Japão e Austrália

A isenção de visto de visita para estrangeiros da Austrália, do Canadá, dos Estados Unidos e do Japão, já passou a valer. Determinada por

Nossos Apoiadores: